A Gordura é a Melhor Amiga do Coração

O Comportamento do Consumidor Pode Ser Diferente do Estilo de Vida
18/03/2019
O Brasileiro ABVO em Búzios Promoveu um Novo Espaço da Vela no Brasil
24/03/2019

A Gordura é a Melhor Amiga do Coração

Sim, é diferente de tudo que já ouviu. Não há relação de causa e efeito entre o consumo de caloria e gordura e o de mortes por doença cardíaca.

 

Por Olheinfo – Quando o assunto é a sua saúde, “todo mundo” pede para você abrir mão da carne com gordura, do torresmo… enfim, de tudo que lhe dá prazer de saborear. Querem assustá-lo com verdades incontestáveis da medicina: “colesterol alto leva ao infarto”, “o melhor é o produto zero gordura”…

 

Fazem você se exercitar como um maluco, suar como um cavalo, comer vegetais como um coelho… ainda assim, seus exames de sangue permanecem alterados. E vão continuar alterados, pois você está seguindo recomendações erradas.

 

Então, por favor, pare de escutar esses mitos da medicina desinformada. De tão repetidos, esses mitos até parecem ser algo real… mas quero que veja aqui o que esses “conselhos amigos” estão fazendo para a sua saúde.

 

E hoje estou aqui claramente para tomar partido: em nome do seu coração, eu preciso que você absolva a gordura. Sou médico, cardiologista e nutrólogo. Já trabalhei nas maiores redes da indústria farmacêutica. Mas entendi que o caminho da lavagem cerebral em prol do remédio não era o que eu precisava fazer.

 

Trabalhei em universidades de renome, como Harvard. E todos os meus estudos, pulverizados em mais de 149 trabalhos científicos, mostravam que o caminho terapêutico verdadeiro para curar as pessoas era outro.

 

Se você, leitor ou leitora… tem os níveis de pressão arterial elevados… está no caminho rumo a um infarto… possui os ossos frágeis e o fôlego curto… eu preciso da sua máxima atenção. Para salvar seu coração, eu preciso colocar luz no mito da gordura.

 

Peço então que me acompanhe para compreender a origem deste mito cruel. Tudo começou com um estudo do fisiologista Ancel Keys. A publicação foi o gatilho de uma demonização do consumo da gordura saturada. Keys depois de realizar um estudo incluindo populações de 22 países… escolheu somente sete – Japão, Itália, País de Gales, Inglaterra, Austrália, Canadá e Estados Unidos – para divulgar os resultados.

 

A seleção não foi aleatória. Escolheu as 7 que interessavam para comprovar sua tese, descartou as que não apoiavam. Nestas sete nações, de fato, havia alguma correlação – e não relação de causa e efeito, vale dizer – entre o aumento no consumo de caloria e gordura e o de mortes por doença cardíaca.

 

Agora, na hora da divulgar o seu trabalho, Ancel Keys, simplesmente, ignorou os 15 países que não se ajustavam a sua hipótese de que o consumo de gordura ampliava o infarto. Keys desconsiderou que Japão e Itália – países com menos mortes por doenças coronarianas entre os sete escolhidos – tinham também menores consumo de açúcares.

 

E o açúcar, meus caros, é comprovadamente uma substância causadora de doença cardiovascular. Assim… desta maneira torta e controversa, nasceu uma “recomendação errada” de que toda e qualquer gordura é uma vilã cardíaca.

 

Pior… levou os fabricantes de produtos alimentícios a também reduzirem a utilização de gordura em seus produtos, por conta de uma população erroneamente amedrontada pela possibilidade de doenças cardiovasculares.

 

Com a redução da gordura, os produtos ficaram com gosto de isopor e passaram a receber a adição extra de açúcar e carboidratos para serem agradáveis ao paladar.

 

O estrago estava feito. Tal crescimento da utilização do açúcar e carboidrato ajudou a impulsionar a atual e permanentemente crescente epidemia de obesidade e doenças crônicas. Os casos de infarto explodiram.

 

Hoje, é difícil encontrar um brasileiro que não esteja no alvo. De acordo com o Ministério da Saúde, quatro em cada dez pessoas no Brasil vão morrer em decorrência de uma doença coronariana. Sim, 4 em 10.

 

E agora doutor?

O que estou te dizendo é que nunca alguém conseguiu comprovar que gordura saturada é causa de ataques cardíacos e derrames, chamados de acidentes vasculares cerebrais. Pelo contrário… uma comparação entre populações do norte e do sul da Índia revelou que as pessoas do norte consomem 17 vezes mais gordura animal… porém, têm um risco de doenças cardíacas 7 vezes menor do que no sul.

 

O estudo⁵ foi publicado no Indian Journal of International Medicine. E essa é só uma das muitas pesquisas já publicadas: em 2010, um estudo meta-análise, publicado no American Journal of Clinical Nutrition, com 347.747 pacientes americanos concluiu que não há nenhuma relação entre gordura saturada e doenças cardiovasculares.

 

Então, em nome do seu coração, não abandone os saborosos bifes, torresmos, carne de porco, ovos e manteiga. Eu por exemplo, todas as manhãs, começo os meus dias com ovos (vou te ensinar a maneira ideal de prepará-los e já adianto que não é como omelete) e duas vezes por semana como bife de fígado.

 

As vísceras, por sinal, são as melhores opções de consumo para quem deseja um coração robusto, que bate no ritmo certo e não se rende à aterosclerose. Esse tipo de gordura atua na manutenção da integridade das membranas celulares e ação antioxidante ao organismo.

 

Sim, é diferente de tudo que você já ouviu. Mas não se trata do que eu acredito somente. É isso que a ciência recomenda.

 

Fonte: Dr. Lair Ribeiro / https://www.lairribeiro.com.br/gordura-e-a-melhor-amiga-do-coracao/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *