A importância do relacionamento e da comunicação no processo de gestão

Evitar o erro é mais lucrativo que acertar
05/03/2019
O Verdadeiro Sentido do Carnaval no Mundo e o Uso do Dinheiro Público
06/03/2019

A importância do relacionamento e da comunicação no processo de gestão

 17/06/2013

Pesquisa, planejamento, treinamento, avaliação e controle são etapas indispensáveis no processo de gestão; porém sem relacionamento e comunicação não haverá sucesso.

 

Paulo Eduardo Dubiel – Manter o processo de gestão em plena produtividade pode ser mais complexo do que se imagina, porém de possível execução a qualquer gestor; muitos deles conseguem administrar sem obter sucesso duradouro, pois investem esforços em uma área e esquecem-se da outra. Poucos conseguem obter resultados produtivos constantes, não porque são melhores, mas por entenderem o cerne do processo. O tripé/base, de uma equipe de trabalho excelente é o processo de gestão, o relacionamento, a comunicação interna e a satisfação pessoal dos profissionais; que compõe a etapa meio da cadeia produtiva. A primeira etapa é planejar, com base em dados reais elaborar o planejamento estratégico e operacional, alinhado ao tático. A terceira etapa é o resultado, que pode ser a curto, médio e/ou a longo prazo; qualquer um desses resultados pode durar ou não por tempo indeterminado.

O gestor tem a responsabilidade de manter o processo de gestão em plena produtividade, para isso enfrenta dificuldades diversas, sendo algumas facilmente identificadas e superadas; outras de difícil acesso, que se manifestam nos detalhes e nas pequenas falhas, chegando a influenciar negativamente toda cadeia produtiva da organização e, com isso, gerando prejuízos. O cenário é complexo, porém de possível controle quando avaliado, controlado e melhorado diariamente.

Profissionais da administração, gestores, empreendedores, buscam cada dia mais a melhoria contínua de seus processos; alguns investem no treinamento dos colaboradores, bem-estar do clima organizacional; outros em: tecnologia, instalações, salários, premiações etc. Porém, mesmo assim, não conseguem obter sucesso, pois investem esforços em determinadas áreas e enfraquecem outras. O resultado satisfatório passa a existir quando todas as etapas do processo de gestão estiverem alinhados.

Conquistar resultados produtivos e duradouros é uma tarefa complexa que exige, acima de tudo, o entendimento sobre o cerne do processo – a individualidade de cada colaborador, adequada a equipe e necessidade do negócio de atender o mercado. O relacionamento e a comunicação são fatores primordiais nesse cenário. Para manter a relação de trabalho, o relacionamento profissional entre os colaboradores, e ambos ao negócio e mercado, é necessário entender individualmente cada colaborador e a equipe como um todo.

O bom relacionamento começa de forma intrapessoal e se consolida no interpessoal, os quais refletirão na produtividade e lucratividade do negócio. Para obter resultados satisfatórios é fundamental que todos os colaboradores vivam felizes e possam dar continuidade ao estado emocional no seu local de trabalho. A empresa deve investir no colaborador, não dispensando o investimento tecnológico, estrutural e nas instalações; o colaborador sente orgulho de trabalhar num local bonito, confortável, onde ele possa ter seu espaço. Para o sucesso absoluto os gestores precisam de outros processos de trabalho, melhorados e diferente da carga imposta pela CLT.

Ações estratégicas inteligentes voltadas ao processo de gestão contemplam benefícios às famílias dos colaboradores. Investir na saúde, educação dos filhos dos colaboradores, como no bem-estar do casal é um valor agregado,  que fará do colaborador um defensor da empresa e imputará subliminarmente de forma consciente a responsabilidade de manter o sucesso produtivo. Pode até parecer exagero, na concepção da relação trabalhista brasileira, porém proporcionar ao colaborador apenas o que o governo exige é querer que ele cumpra também o básico.

Os maiores problemas enfrentados nos relacionamentos interpessoais têm suas bases na comunicação – aquela que ouve uma coisa, entende outra e pratica ao contrário. Essa falha, ou melhor, esse ruído na comunicação é o responsável pelas coisas mal resolvidas, desentendimentos, demissões, erros de processo e até a perda de clientes. É importante entender que o erro, na maioria das vezes, vem de cima para baixo (começa na diretoria/gerência, propaga-se pela supervisão e permanece no operacional) e deve ser evitado, pois esperar para corrigi-lo pode ser desastroso. Comunicar direcionamentos com clareza, documentados, com protocolos de procedimentos; expor em quadros as metas, objetivos, missão, visão, realizados, pendências etc., também contribui para uma comunicação clara.

O processo seguro tem sua estrutura no formato de tripé, representado pelas etapas – planejamento, execução e resultado. Nessa representação não há acesso à última etapa, ela é o próprio resultado negativo ou positivo do processo; ela serve para nortear novas ações e adequar o processo ao mercado e aos resultados esperados. A etapa meio são os processos estratégicos e operacionais em execução. A primeira etapa é tudo que envolve o planejamento tático, como: pesquisas, estudos de mercado, plano de marketing, de negócios etc. Priorizar uma dessas etapas é por em risco o equilíbrio do cenário. Não existe mais importante, todas são fundamentais para a permanência com lucratividade do negócio.

O negócio é do cliente e consumidor, as instalações são do proprietário e os funcionários são os colaboradores do processo. Vale observar que a política que envolve a relação trabalhista adotada no Brasil (CLT) é praticamente uma relação de escravidão. O colaborador chega às 8h e sai às 18h, com isso sairá de casa às 6h e chegará às 20h. Qual é a vida familiar, social e pessoal desse colaborador? Na verdade mal terá tempo para ir ao médico se cuidar. São essas e outras situações que devem ser levadas em consideração, até mesmo para o bom andamento do negócio. É importante criar ações para beneficiar os colaboradores, como:  dia premiado, descanso, programas de cargos e salários e demais benefícios extensivos à família.

A comunicação clara é aquela que o gestor “fala a língua” dos seus colaboradores, ou seja, direciona ações pertinentes a cada colaborador, na medida em que conseguem executar. Depois avalia cada ação e controla os resultados, promovendo o bem-estar e a saúde do clima organizacional. O resultado sempre será excelente se os colaboradores estiverem mais que satisfeitos em produzirem para empresa. Assim sendo, para obter sucesso absoluto na retenção de clientes, colaboradores e conseguir emprenho máximo da equipe, o gestor precisa abortar o padrão básico CLT e criar processos de trabalho melhorados.

Por Paulo Eduardo Dubiel
Gestor de Marketing & Executivo em Gestão de Negócios, Esp.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *