O profissional e o pessoal são inseparáveis.

Ganância e desrespeito com o consumidor.
02/07/2012
Não existe tempo para se comunicar com qualidade.
16/07/2012

O profissional e o pessoal são inseparáveis.

09/07/2012

A excelência é uma condição almejada pelos profissionais, principalmente os que assumem cargos de liderança; porém não há como ter essa conduta na vida profissional sem que a pessoa seja excelente.

 

Não se separa o lado profissional da vida pessoal. Por essa razão se o profissional vive mal no seu lar e com seus amigos, a possibilidade dele ter problemas no seu trabalho é grande. Pessoas com problemas emocionais têm dificuldades em produzir de forma ardente.

 

Os melhores colaboradores são aqueles que estão equilibrados internamente, dificilmente trarão problemas para a equipe. Podem até não estar preparados  para determinadas tarefas e gerar resultados; mas estarão sempre dispostos a crescer e somar.

 

Ao contrário, o colaborador com problema emocional, pode até ser extremamente preparado e ter experiência competitiva, mas sua condição irá inibi-lo. Ninguém consegue separar de si mesmo sua condição interior ou ser imparcial com algo que acontece dentro da sua cabeça.

 

Os problemas de saúde também diminuem a capacidade dos bons profissionais de produzirem, contudo o que mais tem afetado o desempenho nas empresas é o estado emocional negativo – pensamentos, emoções e sentimentos. São coisas interiores que criamos, permitimos e depois não conseguimos nos livrar.

 

Quando o pensamento, as emoções e os sentimentos exercem mais força que a consciência, a pessoa perde o discernimento do certo, ético e profissional; pois, mesmo querendo ser excelente, sua condição interior/pessoal será mais forte. Para evitar que o lado profissional seja prejudicado, a pessoa deve manter uma conduta de vida condizente com seu objetivo.

 

O objetivo na vida de uma pessoa deve ser único, no sentido de focar seus esforços para conquista-lo. Um profissional excelente leva uma vida equilibrada, sem exageros; cuida do seu corpo, mente e espírito. Valoriza o bem-estar familiar, social e comporta-se nesses ambientes da mesma forma que na sua empresa.

 

Um ser excelente é um profissional excelente por natureza. Porém não se pode confundir o excelente com o fanático ou o doente por trabalho, aquele que só fala e pensa em trabalho; esses são confundidos com os excelentes, quando na verdade são extremamente dedicados.

 

É incoerente ter excelência no comportamento profissional, sendo uma péssima companhia no lar ou um mau exemplo social. Com o passar do tempo esse perfil comportamental influenciará o profissional e logo a personalidade mais forte assumirá as decisões. Não se mistura óleo com água, pensamento ruim com resultado bom, pessoa de mal humor produzindo coisa boa.

 

O profissional excelente dificilmente falha, está sempre de bom humor e apto a fazer as coisas certas, com ética e efetividade. Ele não pensa duas vezes quando tem a oportunidade de servir, fazer algo por alguém, aprender e sempre melhorar. O profissional excelente é aquele que ama o que faz e vive por isso, sem desprezar o ponto de equilíbrio e o planejamento familiar, pessoal e social.

 

Ser profissional é não levar as coisas para o lado pessoal. Mesmo no relacionamento familiar, a pessoa não pode levar as coisas para seu único modo de pensar. Ter discernimento do contexto, independente da sua vida, por exemplo: uma pessoa te maltrata, se você levar para o lado pessoal se identificará com a agressão e reagirá; por outro lado, se agir de forma profissional ignorará, se você levar para o lado pessoal se identificará com a agressão e reagirá; por outro lado, se agir de forma profissional ignorará, não se envolverá no problema e agirá de forma imparcial ao sentimento de agressão do próximo.

 

Ter a excelência nos resultados, nem sempre é motivo de comemoração; a vitória de hoje pode ser a derrota de amanhã. O profissional deve ser excelente, e não apenas tê-la como parte da sua vida. Preparar-se acima de tudo é o segredo da vitória, mas manter o estado de espírito sobre o emocional é a base do crescimento linear e duradouro, de quem mantém o ponto de equilíbrio estável.

 

Por Paulo Eduardo Dubiel

Editor do Olheinfo

Inventor / Publicitário / Jornalista

Graduado em Gestão de Marketing

Especialista em Gestão de Negócios

Executivo em Gestão de Marketing e Negócios, Esp.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *