O Líder de Equipe

29/09/2018

 

Todo líder nato é um profissional, um exemplo para seus liderados; ele pensa de forma coletiva e coloca seus interesses em segundo plano.

o lider
Foto montegem Peds GM&C

O líder não inspira, não motiva, não manda; ele vai à frente e ensina, faz junto com seus liderados, ele é o exemplo. Ninguém pode aprender a ser um líder, porém pode aprender a liderar. O poder de influenciar do líder está nos exemplos que ele demonstra, na confiança que os liderados adquirem e no amor do líder pelo que faz. O líder conduz sua equipe com paixão e com amor, respeita cada um na sua capacidade produtiva; conhecendo e trabalhando as forças e as fraquezas de forma individual com visão coletiva. O líder proporciona oportunidade de crescimento a todos e coloca seus interesses em segundo plano. O líder cobra, premia e pune apenas sobre aquilo que ele ensina. O líder é o mais forte por natureza, mas não é o melhor em tudo; nos seus momentos de fraqueza se retira para buscar forças e sempre encontra a solução. O líder não sabe tudo, mas tem respostas pra tudo. O líder acolhe os fracos e os ensina a gerar resultados, não mede esforços e não tem medo de ensinar tudo que sabe; assim como, respeita os fortes e os ajuda. Trata a todos de forma igualitária. A liderança é um dom que, com a preparação, gera excelentes resultados para toda cadeia produtiva. O líder é acima de tudo profissional que não leva as coisas para o lado pessoal.

 

Todo processo de gestão que tenta inspirar e motivar os colaboradores a produzirem mais e melhor, ordenando e cobrando ações as quais eles não foram treinados e ensinados, será um fracassado pela ausência de envolvimento e treinamento. O líder não é aquele que impõem respeito por medo ou pelo seu poder de demitir, determinar ou conceder e cortar benefícios. O verdadeiro líder ensina, treina a sua equipe e vai à frente; executando as ações juntamente com os seus liderados. Um exemplo que motiva e inspira a organização. O colaborador só pode ser cobrado por aquilo que foi ensinado.

 

Ninguém pode aprender a ser um líder, porém todos podem aprender a liderar. No atual cenário mercadológico a palavra líder é associada a poder de influenciar e de comandar, assim como de estar à frente da equipe e de liderá-la; isso significa para uns status, colocação profissional e boa remuneração. A questão é que o profissional que lidera uma equipe nem sempre é um líder nato, ou seja, não possui a essência do líder; é como o sabor artificial de algo que parece mais não é. O líder nato possui uma condição enraizada na sua personalidade a qual lhe capacita a liderar com amor e pelo amor ao próximo, ele tem um compromisso ético, moral e o comprometimento com ele mesmo de gerar resultados para os liderados.

 

O líder nato tem o poder interno de influenciar, de participar do problema e da solução alheia; seus exemplos vão além do estado da técnica demostrado. A base do líder está confiança que os liderados adquirem quando percebem o amor do líder pelo que faz e o comprometimento dele quando participa dos problemas da sua equipe. O líder conduz a sua equipe com paixão e com amor, respeita cada um na sua capacidade produtiva; assim como, busca conhecer e trabalhar as forças e as fraquezas individuais com visão coletiva.

 

O líder nato proporciona oportunidade de crescimento a todos e coloca seus interesses em segundo plano. Diferente do líder formado, que cobra resultados e sempre está na primeira posição quando as coisas vão bem, ao contrário justifica seus erros nos liderados. O líder formado preocupa-se com os resultados que lhe serão lucrativos, jamais assumirá um problema que o coloque em risco para salvar a pele de um membro da sua equipe. Já o líder nato, é capaz de colocar a sua “cabeça a prêmio” para salvar um justo da sua equipe; e, é isso, que a equipe percebe.

 

O líder sempre dependerá da qualidade das ações de seus liderados, qualidades essas que ele mesmo constrói para gerar resultados; a equipe como um todo é quem gera o resultado. O líder sempre será o mais forte, aquele que sustenta emocionalmente e tecnicamente a sua equipe; no entanto, terá seus momentos de fraqueza como qualquer ser humano. O diferencial nesse momento, é que o líder nato não compromete a equipe em função dos seus problemas; ele preserva a equipe a qualquer custo, nos momentos de fraqueza ele se “retira” para buscar forças e sempre “volta” com a solução. O líder não sabe tudo, mas tem respostas pra tudo, sua capacidade de gerar solução é enorme. O líder nato potencializa os fortes e acolhe os fracos para os ensinarem, tratando a todos de forma igualitária; não mede esforços e não tem medo de ensinar tudo que sabe.

 

A liderança é um dom que nasce com o líder nato. Com tudo, nem todo líder nato tem condição profissional para liderar uma equipe, é necessário que haja preparação. O líder nato bem preparado gera excelentes resultados para toda cadeia produtiva a curto, médio prazos e sustenta esses resultados com valor agregado em longo prazo. O líder formado pode gerar bons resultados a curto e médio prazo, porém com o passar do tempo ele fraquejará – por não ser um líder, e apenas ter a vontade ou a necessidade de liderar. O líder que faz o que ama não se cansa, faz com vontade e não por dinheiro; faz por amor e sente prazer no resultado que os membros da sua equipe proporcionam. O líder nato é, acima de tudo, profissional – é todo aquele que não leva as coisas para o lado pessoal.

 

Por Paulo Eduardo Dubiel
Executivo em Gestão de Marketing & Negócios, Esp.
Peds GM&C Gestão de Marketing & Comunicação